Família diz que fio de alta tensão que atingiu meninos em São Gonçalo, no RJ, estava solto

Família diz que fio de alta tensão que atingiu meninos em São Gonçalo, no RJ, estava solto

  • 0 comentário(s)
Familiares dos dois irmãos mortos após um choque elétrico enquanto soltavam pipa em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, disseram nesta terça-feira (14) que o fio de alta tensão que atingiu as crianças estava solto e que a reclamação já havia sido feita à concessionária de energia elétrica há um mês.

“Dissemos que o que a gente precisa deles (concessionária) é que consertem o fio solto porque tem muita criança lá”, contou Rogério Ramos, tio-avô das vítimas.

“Eles mandaram os técnicos lá quando? Depois do acidente? Depois da casa arrombada, não adianta botar fechadura”, diz Ronaldo Ramos, outro tio-avô.

Procurada, a concessionária Enel disse que está apurando os fatos.

O caso aconteceu na segunda-feira (13), na comunidade da Cerâmica, no bairro Porto do Rosa. Segundo familiares, os dois brincavam de pipa perto de casa, em um campo de futebol, com outros três irmãos. Um fio elétrico de alta tensão se soltou de um poste e caiu sobre o menino de 2 anos. O irmão de 14 anos foi tentar salvá-lo e também foi eletrocutado.

Sem assistência
Outro tio-avô, Lenilton Gonçalves de Oliveira, disse que a família não recebeu assistência até o momento.

“Eles não estão dando nada, arcando com nada, dando assistência nenhuma. Até porque nós não queremos nada deles, porque nada que eles derem pra gente vai trazer os garotos de volta”, lamentou Lenilton.

Kaio, de 2 anos, brincava de pipa perto de casa quando foi atingido por fio de alta tensão — Foto: Arquivo PessoalKaio, de 2 anos, brincava de pipa perto de casa quando foi atingido por fio de alta tensão — Foto: Arquivo Pessoal
Kaio, de 2 anos, brincava de pipa perto de casa quando foi atingido por fio de alta tensão — Foto: Arquivo Pessoal

Morte trágica
“Recebi um telefonema, estava na casa da minha irmã. Ela recebeu e não conseguiu falar. A sobrinha dela, tia dos garotos, ligou para falar sobre a tragédia. Ela disse que Deus tinha levado o Kaio e o Kauã. A mãe está desolada porque ela tinha 5 filhos, mas amor de filho e uma coisa incomparável. Pode ter cem, mas vai sofrer. Ainda mais perder dois de uma forma tão triste, trágica. Ela foi ontem na UPA, voltou para UPA de novo. Está sob efeito de remédios”, detalhou Lenilton.

Ainda segundo ele, os meninos viviam juntos. "A união deles era tão grande, que o Kaio chamava o Kauã de pai. E ele morreu sendo pai. Ele fez o papel que qualquer pai faria", completou.

Para Ronaldo Ramos, foi um milagre os outros três irmãos terem sobrevivido. “Os cinco brincavam juntos. Eles eram tão unidos que foi um milagre não terem morrido os cinco. Foi Deus que não permitiu que os outros fossem um tentar retirar o outro e acabar morrendo os cinco”, comentou.

Kauã, de 14 anos, tentou salvar o irmão, mas também foi atingido por fio elétrico — Foto: Arquivo PessoalKauã, de 14 anos, tentou salvar o irmão, mas também foi atingido por fio elétrico — Foto: Arquivo Pessoal
Kauã, de 14 anos, tentou salvar o irmão, mas também foi atingido por fio elétrico — Foto: Arquivo Pessoal

Os bombeiros chegaram a ser chamados para tentar fazer o salvamento, mas os dois não resistiram.

Os outros três irmãos não se feriram.

Local onde irmãos foram eletrocutados em São Gonçalo — Foto: Reprodução/Redes SociaisLocal onde irmãos foram eletrocutados em São Gonçalo — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Local onde irmãos foram eletrocutados em São Gonçalo — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Por volta das 10h50 desta terça-feira (14), familiares dos meninos estavam no Instituto Médico Legal de Tribobó, também em São Gonçalo. Em estado de choque e a base de remédios, a mãe das crianças não conseguiu fazer o reconhecimento dos corpos. Segundo um familiar, o enterro deve acontecer ainda nesta terça no Cemitério São Miguel, onde a família tem um jazigo.

IML de Tribobó — Foto: Raísa Pires/G1 RioIML de Tribobó — Foto: Raísa Pires/G1 Rio
IML de Tribobó — Foto: Raísa Pires/G1 Rio

Nota da concessionária
Em nota, a Enel Distribuição Rio lamentou o episódio e disse que enviou uma equipe ao local assim que a empresa foi informada do caso, mas os técnicos foram impedidos de acessar a região. Por volta das 10h15 desta terça, assistentes sociais da Enel estiveram no IML para conversar com a família.

Confira abaixo a nota encaminhada pela Enel:

"A Enel Distribuição Rio lamenta profundamente o acidente ocorrido no fim da tarde desta segunda-feira (13/01) em São Gonçalo. A empresa reafirma que está disposta a oferecer apoio aos familiares das vítimas enquanto apura as circunstâncias do acidente. Um representante da concessionária esteve na manhã de hoje (14/01) no Instituto Médico Legal para oferecer suporte aos familiares presentes no local. A empresa acrescenta que vinha tentando identificar algum representante da família desde a noite de ontem.

Sobre as possíveis causas do acidente, a empresa esclarece que relatos de moradores, mencionados no Boletim de Ocorrência sobre o acidente, apontam o cabo de energia teria sido rompido por uma linha de pipa. A empresa seguirá apurando as causas do ocorrido.

Sobre o fornecimento de energia, a concessionária informa que enviou uma equipe ao local assim que tomou conhecimento do acidente, mas os técnicos foram impedidos de acessar a região. Por medida de segurança, a concessionária interrompeu remotamente o fornecimento de energia na área. Na manhã de hoje (14), técnicos da empresa estiveram novamente no local e restabeleceram o serviço", diz a nota.
fonte:g1

0 comentário(s)

Seu nome:
Seu comentário: